19.1.12

Sou pássaro


Uma coisa que me irrita é que sempre lhe perguntam como vão as coisas, com o olhar cansado, você responde, “ah as coisas vão indo”. E este é o problema, as coisas sempre estão indo, entre uma volta e outra do mundo, entre o nascer e pôr do sol, e nem sempre dá pra agarrá-las para impedir que se vão, daí a saudade brota! Daí o sentir falta cresce. É inevitável não sentir aquela vontade imensa de voar, perdi as asas que podiam me levar para o céu. Para estar perto das nuvens, basta você entregar o próprio coração a alguém, em troca ganha asas. Troca nada justa por sinal, porque as conseqüências são drásticas, acabam quebrando suas asas, e quando mais alto estiver, pior, resultando em um tombo extremamente doloroso e é quase impossível perder o medo de alçar vôo novamente. Acho que fui como um pássaro, e ainda me sinto como tal, engaiolada, sinto-me constantemente presa, como um passarinho impedindo de voar, um canto triste, uma vida monótona. E quando a felicidade voltar vamos voar juntas, e a liberdade dançará com nossas asas, longe de qualquer gaiola, longe de qualquer prisão, longe de qualquer escuridão.

2 comentários:

  1. Amei o texto, você tem muito talento.

    Beijos e estou te seguindo =)

    www.phynogabii.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, e volte sempre , aceito sugestões então fique a vontade!!!!
      Bjaao

      Excluir

Se sinta a vontade para comentar e dar sua opinião, fico grata por sua visita, volte sempre!