1.6.12

Devastador e indecifrável



Eu odeio não saber o que está acontecendo comigo, odeio não ter palavras ou forma de explicar isso, odeio mais ainda a forma do mundo girar sem me dar um rumo certo e me odeio por sair com uma pessoa legal, sem sentir frio na barriga. Isso tudo se resume no medo que eu guardo por dentro, não um medo comum, um medo de ter perdido a única coisa que me fazia humana e me tirava toda a razão, medo do amor ter simplesmente evaporado, medo do amor ser definido, porque ninguém mais fica em mim quando eu vou embora, , o tempo passou, já é junho de novo, e ele vive com toda força em tempo real dentro de mim, eu me esforço juro, o tempo passa e a falta dele sopra as velinhas aqui do lado de dentro, foi amor, e eu senti, até de mais, e eu sei que não será como foi, as coisas mudaram eu mudei, mais se não for mais assim, nunca mais vai ser amor?O amor é só um, e na minha concepção, ou você está ou não apaixonado , e isso tem me assustado com toda força, porque não tenho mais aquela capacidade de ser de outra pessoa , e não é conversa de alguém desiludida, eu só sei que não vai ser mais como era, não tem como, eu sei, mais eu juro, eu queria sentir aquilo pelo menos mais uma vez na vida, mais eu estou muito realista pra isso. Eu só queria saber se há oura forma de amar, uma forma mais fácil quem sabe, menos dolorosa talvez. Mais não posso não mais sentir, tenho medo de não sentir, porque mesmo doendo, era o que me fazia permanecer viva.
Ele não pode ter roubado a minha capacidade de amar, sei que é loucura, mais eu preciso sofrer por alguém novamente, só assim saberei se o amor é possível de novo e de novo, o ponto é, se o amor é algo definido e único, ele pode ressurgir mais uma vez? Talvez esse seja o grande enigma, enigma esse que nós pobres mortais jamais conseguiremos entender ou explicar, porque só quem sente essa dor rasgando o peito, sabe do que eu estou falando. Mas bem que o amor podia dar certo, de vez em quando, só pra variar!

13 comentários:

  1. O sentimentos mais intensos são intransitivos e inomináveis.
    GK

    ResponderExcluir
  2. Como eu te compreendo, já não sabemos o que fazer se avançar sem sentir ou esquecer o outro que ainda vive dentro de nós.
    Também tenho medo, medo de um dia não me conseguir apaixonar outra vez por outra pessoa, medo de viver com ele para sempre em mim...
    Às vezes, penso que mais valia que ele desaparecesse ou eu começar noutro lugar longe deste passado que ainda está presente,cravado na rocha como uma pintura da pré-história que resiste ao tempo e não desaparece...
    Enviei-te um e-mail gostava de falar contigo e de obter uma resposta uma certeza esta confusão dentro de mim já me tira o sono com pesadelos e sonhos que se entrelaçam , de tal forma com a realidade que me é impossível destingi-los.

    ResponderExcluir
  3. Eu entendo sim e muito bem o que você, disse, cada palavra faz sentido, e parece que as coisas nunca mais serão certas, nunca mais vão acontecer, e tudo isso passa quando a hora chega na sombra da pessoa certa.

    Beijos Pri.
    http://www.metamorfoseparalela.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Maíra, o amor, em minha concepção, só acontece uma vez. Se você não acha que ainda não o sentiu, é porque as paixonites de antes não passaram de borboletas no estômago.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. O amor sempre nos traz as mais importantes questões. Porque amar é o caminho natural que a alma segue e busca. Mas pra isso o medo permeia o centro desta veia nervosa, o sustentáculo que nos induz a querer tanto saber as mistérios envolto aos sentimentos. Mas talvez entender não seja o foco, mas sim sentir. E ao meu ver, tentamos entender demais... Quando na real devemos apenas sentir.

    O teu medo é algo comum querida. Eu tenho inúmeros. Principalmente nesta questão.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. 2 selinhos para você no meu blog na página selinhos***

    ResponderExcluir
  7. Gostei do seu texto!
    Sério, muito intenso.. Pude perceber que foi escrito com muito sentimento!
    Parabéns! :)

    Jader Monteiro
    http://cinco-datarde.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. é, me identifiquei demais com esse texto '-'

    ResponderExcluir
  9. Sabe eu queria ter palavras bonitinhas para comentar esse teu texto lindo, mas não tenho, não tenho porque de alguma forma ele expressou exatamente o mesmo ponto em que me encontro... Você consegui com palavras traduzir todos os sentimentos angustiantes de alguém que não sente mais o coração bater...

    Beijos =*
    www.tyciahadi.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá Maíra!
    Bem, interessante o texto, mas, acredito que quando amamos e, por algum motivo sofremos por ele, não se deve morrer esse sentimento que é algo tão belo que existe no Ser Humano. Acredito que há durante um tempo insegurança e medo, mas quando encontrar alguém que te ame mesmo e demonstre de verdade, você terá novamente, brotando do fundo de sua alma, esse sentimento tão lindo, tão belo, tão bom que é o amor.
    Boa sorte.
    Estou seguindo.
    Até mais...

    http://tudodoanjo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Complexo esse tal de amor né Maíra?
    Bem, eu penso que sofrer é inevitável, que os problemas sempre existirão, mas acredito (mesmo) que na hora certa, vai aparecer alguém que vai mexer contigo de uma maneira que você jamais imaginou, que vai fazer você sentir o friozinho na barriga, a respiração e o coração acelerados, e você vai entender que sim, que é a hora de tentar outra vez, que você está pronta de novo e vai perceber que tudo acontece no tempo certo.


    Beijooo

    Além das Palavras - umpoucodemimsm.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Nossa!Muito bom!!!
    http://vitrola3000.blogspot.com.br/2012/06/icones-da-blogosfera-fantasiando-o_23.html

    ResponderExcluir

Se sinta a vontade para comentar e dar sua opinião, fico grata por sua visita, volte sempre!